Teatro hispano-americano do pós-guerra: esboço de abordagem

Autores

  • Humberto Hugo Villavicencio Garcia Escola Superior de Artes Célia Helena (ESCH)

Palavras-chave:

Teatro latino-americano, Novos dramaturgos do México

Resumo

No final do século XIX, a dramaturgia hispano-americana mantinha fortes vínculos de dependência com o teatro espanhol, porém, a partir do início do século XX, essa relação começa a se modificar por causa de questões fundamentais que emergiram durante a virada do século. Espanha concluía o ciclo colonizador das Américas e as nações emergentes lutavam por consolidar sua independência política. O teatro latino americano afirmou-se empregando procedimentos narrativos próprios, como o drama maia e quéchua, a comédia de costumes e o grotesco criollo. No pós-guerra, a assimilação das inovações temático-estilísticas do expressionismo, simbolismo e teatro épico, conjugadas ao fluxo migratório europeu no seu embate com a tradição autóctone, assentou as bases do teatro hispano-americano contemporâneo.

Biografia do Autor

Humberto Hugo Villavicencio Garcia, Escola Superior de Artes Célia Helena (ESCH)

Possui Bacharelado em Comunicação Social pela Universidade de São Paulo (USP), em 1982, e Mestrado em Artes pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), em 2012. Atualmente, é professor da Escola Superior de Artes Célia Helena (ESCH) e professor de história das artes cênicas - Teatro-escola Célia Helena (TECH). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Teatro, dedicando-se aos temas: teatro hispano-americano, teatro latino-americano, teatro brasileiro e teatro espanhol.

Downloads

Publicado

08/07/2015

Como Citar

Garcia, H. H. V. (2015). Teatro hispano-americano do pós-guerra: esboço de abordagem. Olhares, (2), 62-65. Recuperado de https://www.olharesceliahelena.com.br/index.php/olhares/article/view/33

Edição

Seção

Dramaturgia latino-americana